Participantes fizeram um momento de silêncio, entregaram rosas brancas e soltaram balões com nomes de mulheres vítimas de feminicídio; ato ocorreu na Boca Maldita, neste domingo (8).

Mulheres fazem ato em homenagem a mãe e filha mortas a tiros em Curitiba; delegado é suspeito do crime Wesley Cunha/RPC Dezenas de mulheres fizeram um ato em homenagem a mãe e filha mortas a tiros, em Curitiba.

O ato ocorreu na Boca Maldita, no calçadão da Rua XV de Novembro, na manhã deste domingo (8).

O delegado Erick Busetti foi preso suspeito do crime e autuado por duplo feminicídio. A escrivã da Polícia Civil Maritza Guimarães de Souza, de 41 anos, e a filha dela Ana Carolina Souza, de 16 anos, foram mortas por volta das 23h30 de quarta-feira (4), na casa da família, no bairro Atuba.

A filha do casal, uma menina de nove anos, estava na residência dormindo. Justiça determina prisão preventiva de delegado suspeito de matar a mulher e a enteada Na homenagem prestada neste domingo, participaram familiares, sindicatos e associações policiais, amigas de Martitza, ONGs que atendem mulheres em situação de violência e também pessoas que se sensibilizaram com a história.

As colegas de profissão de Maritza estavam com camisetas da Polícia Civil.

Durante a homenagem, rosas brancas foram entregues para as pessoas que passavam pela rua. Os participantes fizeram um momento de silêncio, pediram mais respeito às mulheres e gritaram os nomes de Maritza e da filha dela Ana. Balões brancos que carregavam listas com nomes de mulheres vítimas de feminicídio também foram soltos no céu.

Participantes fizeram um momento de silêncio, entregaram rosas brancas e soltaram balões com nomes de mulheres vítimas de feminicídio Wesley Cunha/RPC As primas, o cunhado e a irmã de Maritza eram cumprimentados pelas pessoas que participavam da homenagem.

Busetti está detido no Complexo Médico-Penal (CMP) em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba.

Na quinta-feira (5), Busetti ficou calado no interrogatório da Polícia Civil. Delegado Erik Busetti (em imagem de arquivo da RPC) é suspeito de matar a esposa e a enteada a tiros, em Curitiba Arquivo/RPC As vítimas Maritza trabalhava na Divisão de Planejamento Operacional, enquanto Busetti estava lotado na Delegacia do Adolescente. Conforme a Polícia Civil, Maritza foi nomeada no dia 24 de agosto de 2004 e a primeira atuação foi na Subdivisão da Polícia Civil, em Ponta Grossa. Durante a carreira atuou em unidades dos municípios de Castro, Foz do Iguaçu, Francisco Beltrão, Dois Vizinhos, Rebouças, além de unidades especializadas, entre elas Delegacia da Mulher, Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa, Divisão de Polícia Especializada, Divisão de Polícia da Capital e, por último, Divisão de Planejamento Operacional. A outra vítima é uma adolescente de 16 anos.

Ana Carolina Souza era filha de Maritza e enteada de Busetti. Ana Carolina Souza, de 16 anos, era filha de Maritza e enteada de Busetti Arquivo pessoal Veja mais notícias do estado no G1 Paraná.